Bem-Vindo

Seja bem vindo ao blogue de fãs da Diana Pinto. A Diana é uma escritora do Blogger, conhecida por escrever as histórias de mistério "A Escola do Terror" e "Encontro com o 666". A primeira lançada em livro em Outubro de 2015.
Aqui encontra notícias, vídeos, fotos, além de conteúdo exclusivo como entrevistas feitas à Diana e aos colegas de escrita da mesma.
Obrigada pela visita e volte sempre!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Uma descrição engraçada de sete personagens do livro "A Escola do Terror"

Boa tarde a todos os leitores da Diana!

A Marina, que fez a resenha do livro "A Escola do Terror", da Diana (Link Aqui), acabou por fazer uma breve piada com a descrição de sete personagens do livro da Diana, "A Escola do Terror" e mandou-nos para divulgarmos.
A Marina ainda brinca um pouco com a autora!

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS

Esta é a prova de que todos os personagens têm um lado "humano" neste livro!

Angelina: A nossa personagem "principal" (as aspas estão corretas)! A jovem é principal apenas no primeiro capítulo, pois a atenção dos leitores centra-se no grupo misterioso da escola logo no segundo capítulo, mas enfim... é esta personagem que nos mostra todo o início da obra. No primeiro período de aulas a personagem parece surgir como a mais normal das estudantes, mas no segundo e terceiro períodos de aula a Angelina "dá mais que xuxu na serra", ou seja, parece aquela jovem que faz amor com quase todos os rapazes da escola. Na verdade, o que sabemos é que é apenas com dois: o Bernardo e o José. A personagem acaba por ser vista pelos leitores como a causadora do fim de dois relacionamentos: o Bernardo com a Carolina e o José com a Sofia. 
Conclusão: acaba grávida sem saber quem é o pai! Como se não bastasse, acaba depressiva pois além de saber que o rapaz que ela gostava (Bernardo) a traia com outra, a amiga Diana também sabia de tudo. Com isto, o fim da personagem só poderia ser a morte! E com esta morte, ainda longe de chegarmos ao fim do livro e a autora levando com uma chuva de reclamações de alguns leitores pois, mesmo a personagem sendo uma das "piores" conseguiram nutrir um carinho pela mesma, acabamos por responder à pergunta que a Diana nos faz na sinopse: A Angelina não conseguiu escolher bem as companhias!

Bernardo: Este personagem parece o típico rapaz que temos no secundário que brinca com todas as raparigas e tem uma enorme "fama"! No entanto, a autora é esperta e não faz da vida do personagem um grande clichê. Ele pertence ao grupo de "assassinos" e acaba por ser chantageado pela colega devido ao fato de esta saber que ele anda a namorar com uma rapariga fora do grupo deles. Uma das regras desse grupo é precisamente que ninguém deve namorar com alguém que está fora do grupo. A relação do Bernardo com essa colega mostra ao leitor algo como um romance, contudo, a autora em nenhum modo nos deu esse prazer de ler um romance entre os personagens. O personagem é um dos que mais o leitor detesta, provavelmente, devido ao fato de ser um pouco frio e ter esta parte de "namoradeiro", podendo até ter sido declarado o verdadeiro assassino de todas as mortes. A personagem em dois períodos de aula parece estar na sua boa vida, mas decai assim que se dá a morte da Angelina. Após esse capítulo, o personagem mostra algum carinho pela ex namorada e revela que gostava dela. O fim dele acaba por ser bom (não me adianto!).

Carolina: Esta é aquela personagem que todo o leitor detesta, muito provavelmente! Talvez tenha sido até querida para morrer, algo que a autora, infelizmente, acabou por não o fazer. A personagem começa por ter um romance secreto com o Bernardo, no entanto, esse romance acaba sendo descoberto pela personagem Diana, que nesta parte do livro estava no seu bom momento. A jovem fica uma quantidade de capítulos a ser enganada pelo rapaz, quando, por magia, a autora deixa de ser monótona e coloca-nos o personagem Miguel, que acaba virando um grande amigo da Carolina. O Miguel acaba por se apaixonar pela Carolina e a jovem termina a fazer um erro no final do primeiro período de aulas: namora com o Miguel e com o Bernardo (nada que o Bernardo já não tivesse feito antes com a Angelina!). Nesta altura, o leitor provavelmente ainda não sentia qualquer raiva pela personagem, o pior realmente veio no segundo período de aulas em que a Carolina acaba tendo boas notas na disciplina de Português, não fosse o Miguel o filho da professora. Talvez a relação deles não fosse baseada em amor, não da parte dela. Mas isso nunca foi questionado no livro! Tudo desmorona quando a personagem Carolina, no fim do segundo período, acaba por contar a verdade a toda a turma, revelando que namorava com os dois rapazes. Depois disto, o Miguel perdoa a namorada e, no resto do livro, a Carolina pouco ou nada foi retratada. Será que terminou bem?! Ainda não iremos saber já.

Diana: A personagem que parece mais seguir as regras, mas será que segue mesmo?! A jovem faz apostas com o colega Bernardo e o rapaz acaba sempre por aceitar tudo o que ela manda. A personagem no primeiro período de aulas parece imbatível, a personagem que se encontra melhor. Após a morte da Angelina, o leitor vê um pouco a vida da jovem a decair, mas depressa se levanta. Quando o leitor pensa que a personagem acaba bem, eis que a autora faz a vida da personagem "cair a pique" levando a personagem quase à depressão e levando o leitor a pensar que ela seria a próxima personagem a morrer. A Diana sai do grupo, um grupo que ela gostava, e deixa de namorar com o Tiago, com quem ela teve um breve romance no segundo período (ou terceiro) de aulas. A personagem surge até na mente de alguns leitores como a possível assassina, mas, na realidade, acaba por ter um bom final.

José: Parecia ser o mais invisível do grupo, mas revelou-se uma "arma" para o triângulo amoroso que afastava o mistério sobre a morte das personagens. Também foi retratado como sendo o assassino, mas, afinal, apenas traía a sua namorada Sofia com a Angelina, embora ele sempre tivesse dito que tinha sido algo de uma noite. O José esteve nos seus piores momentos em muitas situações, principalmente após a morte da Angelina, ao saber-se da traição. No fim do livro, acabou por tornar-se pai e a autora acabou por se redimir aos leitores que não gostaram da morte da Angelina.

Gonçalo: Parece a personagem mais "acertada" e de boas maneiras. A única coisa que podemos falar mal da personagem é o fato desta defender o seu posto de primeiro lugar de chefe do grupo. Apenas revela gostar da Mafalda a meio do livro, algo que acaba por o levar aos maus momentos já que a personagem feminina acaba por sair de "cena". Seria um choque se fosse o Gonçalo a matar todas aquelas personagens, no entanto, parece que todos os leitores acabam por se esquecer do capítulo 3 em que ele acaba por fazer desaparecer uma professora. Um ponto para a autora!

Mafalda: Aquela personagem que parece a versão feminina do personagem Bernardo. Não há muito a dizer, no entanto, diferente do final do personagem masculino, a Mafalda acaba por sair de "cena". E também mostra mais humanidade que o Bernardo, revelando antes da morte que gostava de todas as pessoas, até da sua irmã gémea.


E ficou por aqui!
O que acharam? Quem leu o livro, acha que a Marina teve razão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário